Follow by Email

sábado, 26 de agosto de 2017

Finalmente, preso o pastor que liderava quadrilhas de roubo a igrejas



Pastor de Cubatão que liderava quadrilha em roubo de igrejas é preso

Givanildo Borges foi capturado por policiais do Deic na Capital


EDUARDO VELOZO FUCCIA
25/08/2017 - 11:07 - Atualizado em 25/08/2017 - 11:07



O pastor acusado de integrar uma quadrilha responsável por oito roubos, sendo seis deles contra igrejas evangélicas, foi capturado na tarde de quinta-feira (25), na Capital, por policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Segundo o delegado titular de Cubatão, Antônio Sérgio Messias, o acusado trabalhava em uma farmácia e confessou alguns assaltos, alegando passar por dificuldades econômicas. Responsável pelo esclarecimentos dos roubos, Messias requereu à Justiça a prisão temporária do pastor.

Integrante da Igreja Mundial do Poder de Deus, Givanildo Borges era pastor do templo localizado na Vila dos Pescadores, em Cubatão, onde nunca mais apareceu após ser descoberto pela equipe do investigador Norberto da Silva Pereira.

Ali, em um aposento ocupado pelo pastor, foram recuperados cinco notebooks roubados de uma loja de venda e assistência técnica de eletroeletrônicos situada na Vila Belmiro, em Santos.



Fonte: A Tribuna

Outras fontes: Metro e G1


ANTES DA PRISÃO, O JORNAL A TRIBUNA JÁ TINHA PUBLICADO DETALHES SOBRE COMO ELE COMETIA OS CRIMES. VEJA ABAIXO:


Pastor de Cubatão é líder de quadrilha que roubava igrejas no Estado

O acusado está foragido. Ele passava aos comparsas informações privilegiadas sobre os locais assaltados

EDUARDO VELOZO FUCCIA
22/08/2017 - 08:00 - Atualizado em 22/08/2017 - 10:23



A Polícia Civil em Cubatão desmantelou uma quadrilha acusada de oito roubos, sendo seis deles contra templos evangélicos. Um dos integrantes do bando é pastor e se valeu dessa condição para passar aos comparsas informações privilegiadas sobre as igrejas assaltadas.

O religioso acusado trata-se de Givanildo Borges. Integrante da Igreja Mundial do Poder de Deus, ele era pastor do templo localizado na Vila dos Pescadores, em Cubatão, onde nunca mais apareceu após ser descoberto pela equipe do investigador Norberto da Silva Pereira.

“No templo onde atuava o pastor, há um aposento que ele ocupava. Realizamos diligência nesse quarto e, na presença de outros membros da igreja, apreendemos cinco notebooks roubados”, informou o delegado Antônio Sérgio Messias, titular de Cubatão.

Os notebooks foram recuperados no dia 6 de junho. No dia 1º do mesmo mês, eles foram roubados de um comércio de venda e assistência técnica de aparelhos eletroeletrônicos situado na Rua Dr. Carvalho de Mendonça, na Vila Belmiro, em Santos.

De algum modo, o pastor Givanildo soube da ida dos policiais à igreja e do encontro dos notebooks. Ele não voltou ao templo e Messias requereu a sua prisão temporária à Justiça, tendo o seu o pedido deferido. Desde então, o religioso é considerado foragido.

Os comparsas do pastor Givanildo também tiveram a prisão temporária decretada. Eles são Felipe Marcolino dos Santos, o Vovô; Roberth Lincoln Barroso Oliveira, o Chuchu, e Guilherme Augusto da Silva Júnior, o Didi.


Único preso


Apenas Didi está preso, conforme o delegado. “Após a quadrilha ser desbaratada, Didi foi capturado em Mongaguá por praticar um roubo com outros comparsas. Com a sua detenção, pudemos cumprir o mandado de prisão referente aos casos que esclarecemos pela Delegacia de Cubatão.

Além dos seis roubos a templos evangélicos e ao comércio de eletroeletrônicos, o bando é apontado como autor do assalto a uma residência em Bertioga, de onde foi levada, entre outros objetos, a pistola calibre 380 de um morador, no último dia 17 de junho.




Falsa bênção servia para ver locais


Um pedido de bênção era solicitado pelo pastor Givanildo antes de cada assalto cometido nas igrejas. A solicitação, entanto, era apenas um pretexto para que ele pudesse observar o local e repassar informações seguras aos parceiros.

“A quadrilha chegava de carro e o estacionava perto dos templos. Inicialmente, apenas o pastor se dirigia ao local e, após o culto, esperava sair a maioria dos fiéis. Com número reduzido de pessoas, dizia que precisava de oração e aproveitava para verificar o que poderia ser roubado”, contou o delegado Antônio Messias.

Concluída a bênção, Givanildo se despedia e revelava aos companheiros onde estava o dinheiro do dízimo e os objetos de valor que poderiam ser roubados. Em seguida, os comparsas do pastor executavam a parte operacional do assalto.

Além do dinheiro das ofertas dos fiéis, Didi, Vovô e Chuchu se apoderavam de celulares e demais pertences dos religiosos, bem como da aparelhagem de som e dos instrumentos musicais dos templos. Givanildo os aguardava com o carro ligado para lhes dar fuga.

Dos seis templos assaltados, um deles é da Igreja Mundial do Poder de Deus, da qual o pastor Givanildo fazia parte. Os outros cinco são da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

A IURD teve igrejas roubadas nos dias 13 de abril, 17 de abril, 25 de abril, 27 de abril e 19 de maio, respectivamente, em Mongaguá, na Zona Noroeste de Santos, em Peruíbe, em Guarujá e no Casqueiro, em Cubatão.

O assalto ao templo da Mundial aconteceu no dia 14 de maio, no município de São Roque, e foi considerado o mais grave pelo delegado. Entre os fiéis havia um guarda municipal, que teve o seu revólver calibre 38 roubado e ainda foi agredido.

“Ao ter a sua condição de guarda descoberta, ele teve a arma retirada da cintura e apontada para a cabeça. Um dos ladrões apertou duas vezes o gatilho, mas o revólver falhou. Não satisfeito, o bando agrediu a vítima, que precisou ser levada ao pronto-socorro. Até hoje está afastada do trabalho por trauma psicológico”, finalizou Messias.

Fonte: A Tribuna

domingo, 13 de agosto de 2017

Após denúncia, pastor é preso com submetralhadora em Piracicaba



Após denúncia, pastor é preso com submetralhadora em Piracicaba


Suspeito também tinha espingarda e munições; polícia suspeita que ele vendia as armas.





Por G1 Piracicaba e Região

12/08/2017 10h57 Atualizado 12/08/2017 10h57



Um pastor de 42 anos foi preso, na madrugada deste sábado, em Piracicaba (SP), após ser flagrado com uma espingarda e uma submetralhadora de uso restrito, além de munições. De acordo com o boletim de ocorrência, o suspeito foi flagrado, após uma denúncia anônima, em uma caminhonete no Bairro Verde. Ele escondia as duas armas e algumas munições no veículo.

A Polícia Militar fez mais buscas no local e encontrou uma Kombi em um terreno baldio. Dentro dela, havia um carregador de pistola vazio.

Ainda segundo o registro da ocorrência, a Kombi tinha modificações para esconder os objetos. A suspeita é que o pastor vendia as armas, munições e acessórios. Os veículos e tudo o que foi encontrado vão passar por perícia. O homem foi preso sem fiança determinada.

Ele vai ser transferido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Piracicaba, onde permanecerá à disposição da Justiça. O boletim de ocorrência não especifica de qual igreja o homem é pastor.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Pastor é preso por não pagar pensão em Apucarana - Paraná

Pastor é preso em Apucarana (PR) nesta segunda-feira (07)

Polícia Civil cumpre mandado contra Pastor por causa de pensão alimentícia



Um pastor de Apucarana que ministra cultos na Zona Oeste da cidade alta, foi preso ontem pela Polícia Civil, após ter um mandado de prisão expedido contra o mesmo por falta de pagamento de pensão alimentícia.

Segundo a Polícia Civil da 17ª SDP de Apucarana, o mesmo foi preso nesta segunda-feira (07), e estaria numa Igreja na Vila Regina ministrando cultos evangélicos.

O nome do mesmo não foi informado para não expor a filha menor, segundo as autoridades. Só este mês já foram 13 mandados cumpridos em Apucarana por falta de pagamento de pensão alimentícia. O pastor informou que vai tentar manter a situação regularizada e que teve problemas financeiros para pagar

domingo, 6 de agosto de 2017

Pastor batista acusado de estupro "corretivo" contra jovem lésbica


Pastor preso acusado de estupro 'corretivo' contra jovem lésbica é solto


Crime aconteceu em dezembro de 2015 e pastor teria cometido estupro com caráter "corretivo" por causa da orientação sexual da jovem


Publicado em 04/08/2017, às 13h45


Segundo MP, estupro teve caráter "corretivo".
Foto: Acervo JC Imagem
JC Online
Com informações da Rádio Jornal



O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) se reuniu nesta sexta-feira (2) com o Instituto Boa Vista e a ONG Gestos para definirem como irão proceder diante da liminar de soltura do pastor acusado de um estupro cometido em dezembro de 2015 contra uma jovem, que na época tinha 18 anos. O acusado teve a prisão preventiva decretada no dia 17 de julho deste ano e foi solto na última quarta-feira (2).

Segundo Henriqueta Belli, procuradora do MPPE, o pastor da Igreja Batista de Rio Doce teria se aproveitado da aproximação com a família da vítima e do convívio comunitário para cometer o crime. Ele tomou conhecimento que a moça estava se afastando das atividades da igreja e que ela estaria se envolvendo afetivamente com outra menina.

Foi então que o pastor, aproveitando um momento em que a vítima estava sozinha em casa, a procurou sob o pretexto de mostrar os projetos da igreja para os jovens. Em determinado momento o homem pediu para ir ao banheiro e saiu de lá nu e com um preservativo. Ele arrastou a jovem para o quarto e praticou o estupro. Segundo Belli, a vítima relatou que, durante o ato, o pastor fez declarações de cunho homofóbico, dizendo que estava fazendo aquilo para testar se ela "gostava de meninos ou de meninas".

Fonte:

Outras fontes:




Aqui você poderá ouvir entrevista com a promotora:


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Bispo evangélico preso sob acusação de abuso de menores de idade em sua própria casa

Bispo preso por suspeita de estupros em Paulínia aliciava garotos pela web, diz polícia

Ele cometia atos sexuais com menores de idade na própria casa, segundo investigação. Homem já havia sido indiciado por ameaçar ex-mulher. Defesa diz que bispo nega acusações.



Por Patrícia Teixeira, G1 Campinas e Região


02/08/2017 12h41  Atualizado 02/08/2017 15h59


O bispo evangélico Reinaldo Silvério foi preso preventivamente nesta terça-feira (1º) em Paulínia (SP) suspeito de estupro de vulnerável. Um inquérito foi instaurado em março deste ano após denúncia da mãe de uma vítima à Polícia Civil. O religioso nega a acusação.

De acordo com a polícia, Silvério costumava ficar amigo das famílias para ganhar a confiança das vítimas. Ele é bispo da Igreja Boas Novas de Cristo e teria se relacionado com um garoto, na época menor de idade, e com uma menina de 12 anos.

A polícia acredita que o bispo possa ter feito mais vítimas. Saya Barreiro, advogada de Silvério, informa que o cliente alega inocência e que irá analisar o processo para depois detalhar a estratégia de defesa. O bispo será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Sorocaba (SP).



Bispo Reinaldo Silvério, preso preventivamente em Paulínia (SP) por estupro de vulnerável (Foto: Reprodução/Facebook)