Follow by Email

segunda-feira, 6 de março de 2017

Polícia diz que pastor preso por morte de mulher mentiu em depoimento



03/03/2017 13h05 - Atualizado em 03/03/2017 13h39

Polícia diz que pastor preso por morte de mulher mentiu em depoimento



Ele teve a prisão preventiva por 30 dias decretada nesta quinta-feira (2).


Vítima foi localizada em canavial amarrada com arame e sinais de violência.




Do G1 Sul de Minas

O pastor preso na noite desta quinta-feira (2) por suspeita de envolvimento na morte da esposa em Passos (MG) teria mentido em depoimento dado à Polícia Civil como testemunha do caso. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (3) pelo delegado Marcos Pimenta, que conduz as investigações. Gilberto Adriano de Oliveira prestou depoimento no domingo (26), dois dias depois de registrar um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento da pastora Eliane Aparecida Barros, cujo corpo foi encontrado em um canavial na segunda-feira (27). "Gilberto faltou com a verdade", disse o delegado.

À polícia, o pastor contou ter levado a pastora a um posto de saúde, na Avenida da Moda, e que perdeu contato com a esposa depois de sair para buscar em casa documentos que ela tinha esquecido. Ainda conforme o marido, Elaine estava com R$ 655 e vinha se queixando de ameaças de um ex-namorado.

Um dia depois desse depoimento, o corpo de Elaine foi encontrado envolvido em um lençol em um canavial, na saída de Passos para São João Batista do Glória (MG). A polícia disse que o corpo tinha sinais de violência e estava sem as roupas íntimas, além de ter arames no pescoço e nos pulsos.



Pastor Gilberto Oliveira com a esposa, a pastora Elaine Barros: ele foi preso sob suspeita de ser responsável pela morte dela em Passos, MG (Foto: Reprodução/EPTV)
"Descobrimos até fatos que agravaram a situação. Ele sequer participou do enterro e do velório, tem aspectos patrimoniais relacionados, descobrimos também que Gilberto possui um relacionamento extraconjugal, e essa mulher está grávida, inclusive, de sete meses", apontou Pimenta.

Na noite desta quinta-feira, Oliveira foi detido depois que a Justiça decretou prisão preventiva de 30 dias contra ele a pedido da Polícia Civil. O delegado Marcos Pimenta disse que, além do depoimento, há outros indícios que colocam o pastor como principal suspeito do crime.
O casal de pastores estava junto há seis anos e há um ano abriu em Passos uma unidade da Igreja Assembleia de Deus Pentecostal Um Novo Poder. A polícia informou que Oliveira estava em um carro, acompanhado de uma mulher, que seria a suposta amante, quando foi detido nesta quinta-feira. A mulher chegou a ser ouvida na delegacia, mas foi liberada. O pastor foi encaminhado para o Presídio de Passos.

Nenhum advogado ou familiar de Oliveira foi encontrado para comentar sobre o caso.



Corpo de pastora evangélica foi encontrado em meio a canavial em Passos
(Foto: Reprodução EPTV/Hélder Almeida)


Enterro

O corpo de Elaine Barros foi enterrado na manhã de terça-feira (28) no Cemitério Parque de Passos. Como estava em estado avançado de decomposição, não houve velório. Parentes e membros da igreja onde ela era pastora participaram apenas de um momento de oração.

"Ela era uma pessoa muito boa, muito querida. Então ela não merecia isso não", disse, Maria Aparecida, mãe da pastora. "Eu quero que esse crime seja esclarecido e o culpa vai pagar por isso."


Nenhum comentário:

Postar um comentário